Suspensão do uso da Sibutramina para tratamento da obesidade no Brasil - Diversos
 
INC EmpreendedorINC PautasINC NegóciosINC Curso Administração EmpreendedoraINC EditoraINC Divulgador
 

INCorporativa Empreendedor
login
Esqueci a senha

   
PAC-PME

 

 

Empreenda mais e melhor!
FAÇA O CADASTRO E GANHE:

- Palestra Empreender ou não empreender: eis a questão

- Nova edição da revista INCorporativa Negócios

 

E-mail
Nome:


Gerenciador Financeiro
móvel
       
  Bookmark and Share     
Diversos
Suspensão do uso da Sibutramina para tratamento da obesidade no Brasil

A sibutramina é um inibidor da recaptação da serotonina e da noradrenalina, que foi inicialmente sintetizada como antidepressivo

Destaque

  Views: 1599 - incorporativa.com.br - reprodução permitida com link para fonte
Esta pauta é de sua assessoria? Cadastre-se na Agência de Pautas INCorporativa.

 19/03/2011 - Luiz Augusto Casulari *

Esse efeito é muito fraco, mas observou-se que tinha ações de reduzir o apetite e, principalmente, causar saciedade. Por isso, ela é usada há muitos anos como tratamento adjuvante da obesidade, em combinação com dieta e exercício físico. Teve aprovação da U.S. Food and Drug Administration (FDA), desde novembro de 1997, para ser usada em obesos com índice de massa corporal maior que 30 kg/m2.Varias ações benéficas foram associadas ao uso da droga, tais como redução da resistência à insulina, melhora do metabolismo da glicose e melhora do quadro de dislipidemia. Contudo, esses efeitos são muito mais devidos à perda de peso do que de uma ação intrínseca sua. Várias investigações mostraram efeitos benéficos cardiovasculares em doentes com diabetes melito ou não.

A sibutramina exerce um efeito simpaticomimético, e várias publicações descreveram a associação de seu uso com hipertensão arterial, taquicardia, arritmias e infarto do miocárdio. Para esclarecer isso, foi realizado o estudo SCOUT (do inglês, sibutramine cardiovascular and diabetes outcome study). Foi um estudo aleatorizado, duplo-cego, controlado por placebo, que se desenvolveu de fevereiro de 2003 a março de 2009. É muito importante lembrar que esse tipo de estudo é um dos mais confiáveis para avaliar a ação de algum medicamento. Esse estudo multicêntrico, foi realizado na Europa, Austrália e América Latina incluindo, também, o Brasil. Os doentes foram separados em dois grupos: um recebeu a sibutramina 10 mg por dia e, se necessário, caso não tivesse perda de peso, aumentou-se para 15 mg; o outro grupo recebeu placebo. Após sessenta meses de acompanhamento, em média três anos e cinco meses, observou-se perda de peso muito pequena (2,5%) no grupo em uso de sibutramina em relação ao placebo. Contudo, em relação ao uso de placebo, a sibutramina ocasionou aumento de 16% do risco de eventos cardiovasculares como ataque cardíaco e acidente vascular cerebral não fatais, e necessidade de reanimação após parada cardíaca e morte.

Em janeiro de 2010, a European Medicines Agency (EMA) recomendou a suspensão da autorização para a venda da sibutramina em toda a comunidade européia. Essa decisão teve como base o estudo SCOUT, no qual o pequeno benefício no controle de peso não justificava o grande risco de eventos cardiovasculares graves.

No primeiro semestre de 2010, a FDA emitiu dois comunicados que alertaram sobre a necessidade de cuidados complementares na prescrição e no acompanhamento do doente que fazia uso de sibutramina, mais ou menos como foi feito pela ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária mais recentemente aqui no Brasil.

Em setembro do mesmo ano, a FDA promoveu um painel consultivo, que revisou os resultados do estudo SCOUT e, apesar de não ser por unanimidade, chegou-se à mesma conclusão da sua congênere européia de que os efeitos benéficos modestos não justificam os riscos cardiovasculares. Assim, o Laboratório Abbott, aceitando os argumentos da FDA, retirou do mercado americano a sibutramina em outubro de 2010.

A Anvisa, em atenção àquilo que foi decidido por duas das mais importantes agências reguladoras do mundo, também desencadeou o processo de consulta sobre a permanência de anorexígenos no mercadobrasileiro, incluindo-se a sibutramina. Em consonância com suas congêneres, está disposta a banir o uso desses medicamentos do território nacional.

Isso desencadeou discussão acalorada de especialistas, muitos deles em defesa da sibutramina, mas com a atitude imprópria de desmoralizar um estudo que teve o respaldo de duas agências importantes. Nessa discussão, não há preocupação de apresentar dados científicos consistentes que justifiquem a manutenção do medicamento. Nenhum deles fez qualquer pesquisa original importante sobre o argumento. Devemos lembrar que isso ocorreu no Brasil quando da discussão sobre outros dois medicamentos: o rimonabant e a rosiglitazona. Eles foram defendidos por várias lideranças médicas, às vezes até de maneira patética, mas foram banidos independentemente das suas defesas. 

Movidos por conflitos de interesses, confessados ou não, sentem-se no dever de defender a indústria, em detrimento da expectativa do doente e da credibilidade dos outros especialistas que não concordam com essa promiscuidade. Assim, espera-se que a Anvisa exerça sua função de defender o doente brasileiro, como o fazem a EMA na Europa e a FDA nos Estados Unidos, e proíba sua venda no Brasil.

* Luiz Augusto Casulari orientador dos programas de pós-graduação em Ciências da Saúde e Ciências Médicas da Universidade de Brasília – UNB, médico do Serviço de Endocrinologia do Hospital Universitário de Brasília é doutor em Endocrinologia e Metabologia pela Universidade de Milão e membro associado do Grupo de Estudos de Comércio Exterior do Unifieo – Geceu.

 

Facebook xCurta a INCorporativa no Facebook
Twitter xAcompanhe pelo Twitter
Newsletter xReceba a Newsletter
Envie notícias xViu alguma notícia e quer que publiquemos? Envie-nos



Mais de hoje:
  22/10/2014 - Marketing Digital: Páginas de captura e relacionamento ...
  22/10/2014 - Big Data na tomada de decisão
  22/10/2014 - Atender bem é obrigação. E bom negócio
  22/10/2014 - Empresária se torna inspiração para novos empreendedore...
  22/10/2014 - E-book da Lomadee desvenda o marketing de afiliação

 

 

 

 

px
Linked In
RSS Feeds Twitter
Curso online administração emprendedora
artigos
 
Publique seus Artigos
- Faça o login para publicar
 
Helder Sampaio
A nossa percepção dos riscos
 
Janaina Nogueira
A parceria entre SEO e Marketing de conteúdo
 
Paulo Massuno
Coaching Executivo
 
Pedro Paulo Morales
Estamos a caminho de um mundo Z?
 
Ernesto Berg
Relações Humanas. Sua carreira depende dela muito mais do que você pen...
 
JOCIENE
Impactos do desemprego tecnológico no mercado de trabalho
 
   
- Mais vistos - Ver todos

 
 
AGÊNCIA DE PAUTAS, HOJE
Assessoria, cadastre-se aqui
16:23  SONTRA CARGO já reúne mais de duas mil transportadoras cadastradas na região Sul
15:25  Projeto verão exige cuidados
15:15  Especialista em mídias digitais fala sobre o mercado online durante evento da APP
14:50  Mitos e verdades da comida japonesa
14:39  Cantor e compositor Paulinho Moska faz pocket show no Shopping Curitiba
14:24  Nova coleção da Vivara já está no Shopping Crystal
12:27  Restaurantes de São Paulo aderem à luta contra o câncer infantil
11:47  Marketing Digital: Páginas de captura e relacionamento com o cliente

Visite o site
 
 
x
 
 
 
  Editora INCorporativa  
EDITORA INCorporativa
Desenvolvemos sua publicação empresarial - jornais, revistas, informativos. Saiba mais
A Editora INCorporativa mantém este site, além de uma revista online. Veja abaixo.
 
  Pautas INCorporativa   PAUTAS INCorporativa
Assessorias de comunicação publicam seus releases e sugestões de pauta.
O site divulga os textos nas redes sociais e o distribui a jornalistas cadastrados. Saiba mais
 
  incorporativa negócios   INCorporativa NEGÓCIOS
Revista online desenvolvida em conjunto com assessorias de comunicação. Saiba mais
 
  VOCÊ ESTÁ AQUI:
  INCorporativa Empreendedor   INCorporativa EMPREENDEDOR
Notícias e artigos de interesse ao empreendedor e seus colaboradores.
Cadastrados podem inserir artigos sobre negócios e utilizar o gerenciador financeiro Meu Dinheiro.
Acesse diariamente e atualize-se. Siga-nos no Facebook e Twitter.
 
       
 
Noticias e Artigos  
Administração
Artigos Diversos
Artigos dos leitores
Comércio Exterior
Editoriais
Empreendedorismo - MPE
Entrevistas
Especiais
Eventos. Cursos.
Finanças e Economia
Franchising
Legislação / Jurídico
Mídias/Redes Sociais
Marketing, publicidade, Marcas
 
 
 
 
Cadastro Nas Redes Sociais
Linkedin
Twitter
ME Adiciona
 
Institucional
Fale Conosco
Parcerias
Quem Somos
Termos de Uso
Política Privacidade
 
 
 
Mais
Sugerir artigos
Sugerir pauta
Afiliados
Meu Gerente
 
Marcas que Brilham
.
Meu Dinheiro
 
Artigos refletem única e exclusivamente a opinião de seus autores. Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação ou à Revista INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.

 

 

INCorporativa, Revista INCorporativa, Revista Corporativa são Marcas Registradas - 2007-2014.
Esta publicação online é gratuita, uma cortesia da 
© Editora INCorporativa - Comunicação e Produção Editorial

Reprodução de conteúdo permitida com link para a fonte.